Carrinho

Ver iten(s)

Por que hoje é o dia do Maratonista?

A importância dessa data para a maratona.

07/8/2020

                Se você é um maratonista engajado, provavelmente já sabe que hoje, dia 07 de agosto, é o dia mundial de vocês, maratonistas. Mas você sabe por que essa data é tão importante para a modalidade?

               

Abebe Bikila

                A data é uma homenagem ao etíope Abebe Bikila. Nascido em 07 de agosto de 1932 (o mesmo dia da abertura dos Jogos Olímpicos de Los Angeles), foi o primeiro homem a ganhar duas maratonas olímpicas e considerado por muitas pessoas o maior maratonista que já vimos até hoje.

                Filho de um pastor de ovelhas, Abebe nasceu na pequena vila de Jato, no interior da Etiópia, a três horas de carro da cidade de Adis Abeba, a capital do país.

                Quando adulto, decidiu que entraria para a Guarda Real para ajudar a família e foi andando de sua vila até a capital para o alistamento. Já no exército, sendo o capitão da Guarda Real, chamou a atenção de um treinador Finlandês. Começou a treinar apenas com 24 anos.

Primeira medalha olímpica

                A décima sétima Olimpíada ocorreu em Roma, no ano de 1960, Abebe foi chamado de último minuto para entrar na equipe, já que um dos integrantes, Wami Biratu, tinha quebrado o tornozelo durante um jogo de futebol.

                Percebendo que nenhum calçado da Adidas, patrocinador oficial dos jogos, ficava confortável em seus pés, decidiu correr os 42km descalço.

Já em sua primeira maratona olímpica, conseguiu o marco de ser o primeiro africano negro a conseguir uma medalha de ouro em uma olimpíada. Além disso, conseguiu quebrar o recorde mundial por completar a prova em 2h15m16s.

Voltou para seu país como um herói.

Segunda maratona olímpica

                Em 1964, quarenta dias antes da décima oitava olimpíadas em Tóquio, Abebe começou a sentir fortes dores enquanto treinava para sua corrida. Foi levado com urgência para o hospital e passou por uma cirurgia no apêndice.

Seis semanas depois da cirurgia, o corredor venceu a maratona olímpica na cidade de Tóquio, chegando quatro minutos antes do segundo lugar e estabelecendo o recorde mundial em 2h12m12s.

Bikila voltou novamente como um herói para o seu país e, dessa vez, ganhou um carro do governo.

O incidente na Cidade do México

                Na terceira prova olímpica, infelizmente, o etíope fraturou sua perna no quilômetro 17 da prova de maratona das olimpíadas do México de 1968 e teve que abandonar a prova sem completá-la.

Últimos anos

                Em 1969, um ano após o incidente na Cidade do México, nosso homenageado sofreu um acidente com o carro ganho pelo governo. Saiu com vida, porém ficou paraplégico e precisou viver em uma cadeira de rodas, mesmo depois de ser operado na Inglaterra.

                Acabou falecendo quatro anos depois, com 41 anos, por conta de sequelas do acidente.

Curiosidades

                Algumas curiosidades a mais:

  1. De todas as provas que ele participou e completou, ele apenas não ganhou uma: a maratona de Boston.
  2. Na premiação da olimpíada de Tóquio, a banda não tinha a partitura do hino da Etiópia, ou seja, Bikila foi premiado com a medalha de ouro ao som do hino do Japão.
  3. Depois da segunda maratona olímpica, algumas pessoas se espantaram ao ver que Abebe começou a se alongar na grama central do estádio onde ficava a linha de chegada sem parecer cansado, quando perguntaram, ele falou que achava que conseguiria correr mais uns dez quilômetros.
  4. Depois de ficar paraplégico, ainda participou da paraolimpíada, na modalidade de arco e flecha.
  5. Após a corrida de Roma, perguntaram porque ele tinha corrido descalço, Bikila respondeu: "Queria que o mundo soubesse que meu país, a Etiópia, sempre conseguiu suas vitórias com heroísmo e determinação".
  6. Há um livro contando a história de Abebe chamado “Barefoot Runner” e também um filme etíope chamado The Athlete, que, inclusive, foi a primeira produção do país a concorrer a um Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, mesmo não ganhando, foi um marco.

Galeria de fotos


Compartilhe nas redes sociais: